5 bons motivos para você trabalhar de graça



Eu sei, eu sei! dá até raiva só de pensar em gente que quer se aproveitar dos designers, não é verdade? aquela história de… ah! faz uma marquinha pra mim rapidinho... Eu já tentei, com muita boa vontade, entender que “rapidinho” (na visão deles) quer dizer: “<strong>não capriche tanto! vc tem bom gosto! o que você conseguir fazer tá bom!</strong>”. Mas no fim a gente sabe que a coisa não funciona assim.

<h4><span style="color: #ff6600;">Agora, se você é freelancer e já ouviu algumas dessas propostas para "trabalhar de graça", que tal inverter o jogo e ver alguns desses pedidos como boas oportunidades?


Seguem abaixo algumas ideias que podem te ajudar a analisar cada caso.



1 – Quando o trabalho tem investimento para impressão, mas não para criação desconfie, mas se servir para mostrar o seu trabalho, aproveite.

Não perca tempo pensando por que esse cliente pode pagar a gráfica, mas não o seu trabalho. Vá direto para o pensamento seguinte: - esse trabalho tem potencial para ser grande e esteticamente bem construído pra valer a pena do ponto de vista da <strong>exposição que ele vai te dar como designer?</strong> imagine uma papelaria linda, ou uma fachada de loja bem feita, algo tangível, que possa ser fotografado e aproveitado para divulgar o seu trabalho por aí. Se for assim, pode ser um <strong>bom investimento</strong> para você.



2 – Quando o trabalho permitir bastante liberdade de criação e experimentação, que seus clientes “normais" não te dariam.

Nesse caso, se você vê potencial (e um bom prazo) para experimentar colagens, pinturas, tipografias alternativas, produção fotográfica, montagens, etc, esse pode ser <strong>um exercício profissional interessante</strong> para <strong>explorar técnicas diferentes e não ficar “enferrujado”,</strong> fazendo sempre o mesmo tipo de criação. Um livro diferente, uma identidade visual artesanal ou até um cartaz mais ousado para um musical por exemplo, podem tirar você da rotina, te dar muita satisfação profissional e enriquecer o seu portfolio.



3 – Quando em contrapartida você pode ter experiências novas

Sabe aquele trabalho que você nunca fez, mas saberia fazer (pelo menos em teoria)? Há algumas áreas que <strong>já estudamos, mas precisamos colocar em prática</strong> com um cliente de verdade para ganhar experiência. Alguns exemplos são: design de sinalização para uma grande empresa, design de serviços, design de interfaces, etc. Aí vale a pena deixar claro que você quer fazer um projeto de melhoria em parceria com a empresa e acompanhar os resultados. Se você vir que o projeto trouxe um retorno positivo, pode ser um excelente “case" para a sua vida profissional e uma experiência válida para <strong>consolidar os seus conhecimentos